20 anos da World Wide Web

Em março de 1989, no Centro de Física de Partículas Nucleares Europeu (o CERN, localizado na Suíça), um jovem cientista estava prestes a revolucionar o mundo moderno. Tim Berners-Lee gostaria que diversos cientistas espalhados pelo mundo mantivessem contato. Assim, criou um projeto entitulado “Gerenciamento de Informação: uma proposta”. Seu supervisor descreveu o texto como “vago, mas empolgante” e então deu permissão para tocar o projeto adiante.
Eram os primeiros dias de vida da World Wide Web (inglês para algo como “teia que alcança o mundo inteiro”). Com a ajuda de outros engenheiros, criaram a linguagem global do hipertexto, o Hypertext Transfer Protocol (inglês para “protocolo de transferência de hipertexto”), abreviado em http.
Em outubro de 1990, elaboraram o primeiro browser, já parecido com os de hoje.

Robert Cailliau, ex-engenheiro do CERN, e colega de Berners-Lee no projeto, conta que começaram a World Wide Web montando blogs e comunidades, em nada diferentes dos que as pessoas fazem hoje.

A partir de 1991, o CERN decidiu não prosseguir com o projeto. A tecnologia www passou então a ser disponibilizada mais amplamente, sem que os cientistas cobrassem royalties. Os fundadores da
rede se mostram entusiasmados com tantas possibilidades. É impossível medir os limites da internet e muitas discussões afloram em seu aniversário de 20 anos.

Discussões e Preocupações
Os fundadores da internet apontam a invasão da propaganda e a perda da credibilidade como principais problemas no crescente uso da rede. Além disso, o conteúdo desprotegido – em muitos casos desagradáveis e perigosos – acessível para qualquer pessoa preocupa.
Para Berners-Lee, hoje líder do World Wide Web Consortium, a coordenação do desenvolvimento da rede é fundamental. O cientista enxergou o potencial da internet ainda em sua fase inicial, na qual sua intenção era gerar endereços que hospedavam informações permanentemente. Hoje temos sites de busca e de armazenamento de documentos históricos, no entanto algumas das informações têm sumido, desaparecido de uma visita para outra. É o que os especialistas comparam a um buraco negro da informação, ou a um labirinto de sites e links.

O Futuro da Internet
De acordo com a empresa de pesquisas Netcraft, há cerca de 165 milhões de sites hoje. Para Berners-Lee, o desenvolvimento da rede pela colaboração de tantas pessoas pelo mundo é uma experiência fantástica, e a internet ainda está na sua infância. Ele espera, para um futuro próximo, mais agregação nas formas de trabalho em conjunto, para o gerenciamento do planeta como um todo.
Em janeiro de 2009, Berners-Lee esteve em São Paulo, na Campus Party Brasil 2009, e afirmou que “o futuro da rede está no avanço do compartilhamento de conteúdo: na web do futuro, o usuário controla quem tem acesso a quais informações colocadas online”.
O futuro da internet é uma página em branco. Dispositivos eletrônicos são inventados a todo momento, tornando impossível prever o sentido da evolução: celulares, telas, aparelhos para se conectar, acesso de casa, entre outros.

E seja qual for o hardware do futuro, a Oficina dos Bits terá o prazer de oferecê-lo em primeira mão para nossos parceiros e clientes.

*Fonte: http://tecnologia.terra.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou do conteúdo do blog? Compartilhe! :)

LinkedIn
Share
Instagram