Western Digital lança HD finíssimo de 5mm e 500 Gb de capacidade

A empresa WD (Western Digital) lançou um HD 25% mais fino que os smartphones populares no mercado e 47% mais fino que um disco rígido padrão com 500 Gb de capacidade. O WD Blue tem 5mm pesa 74g e, segundo anúncio da empresa, tem o volume total reduzido (47%), mas sem comprometer o desempenho.

Leia mais

Por que o SSD vai destronar o HD comum?

Alguns novos computadores já começaram a apresentar um novo tipo de armazenamento: os discos de estado sólido (Solid State Drive ou SSD).
Há muitos usuários que renegam essa tecnologia por causa do alto custo e das capacidades reduzidas (quando comparadas a HDs comuns),
mas é necessário entender como funcionam e as vantagens oferecidas por um modelo que dispensa os processos mecânicos.

HDD                                                                                                 SSD

Discos de estado sólido são fabricados sem partes móveis, ou seja, são peças inteiras que trabalham com componentes estáticos.
Diferentemente do que acontece com discos rígidos comuns, eles não utilizam processos mecânicos para a gravação e a leitura de arquivos no disco magnético (HDs funcionam de maneira similar aos toca-discos).
No lugar da agulha e do disco, os SSDs são constituídos por dispositivos de memória Flash.
Dessa forma, o processo de escrita e leitura dos arquivos é feito de maneira elétrica, quase instantânea.
O motivo para isso é o acesso facilitado do processador aos dados gravados, pois não é necessário dissipar energia com o movimento das faixas magnéticas.

Quando algum impacto ocorre, essa agulha pode perder-se na leitura e gravação dos dados, fazendo com que o computador trave completamente.
Em casos mais sérios, os HDs podem ser inutilizados, pois, em vez de a agulha apenas se perder, ela acaba riscando o disco magnético do componente.
Computadores com SSD não sofrem com isso. Sem partes mecânicas na composição do dispositivo, impactos ou grandes sessões de “chacoalhões” não oferecem riscos.
Testes da Samsung apontam para resistência contra choques com frequência de mais de 2 mil Hz, enquanto os HDs pararam de funcionar com menos de 400 Hz

Outra vantagem dos SSD é ele é “verde”, pois são criados para reduzir o consumo de energia e garantir melhor eficiência com os recursos que o mesmo utiliza.
O maior benefício dessa tecnologia é o aumento da duração de bateria de notebooks, sem discos rotativos, menos energia é dissipada com o movimento,
sendo direcionada para transmissão de dados entre os componentes.

Mas, como nem tudo são flores, os SSDs também tem suas desvantagens. O espaço do dispositivo é muito reduzido em comparação com os HDs, enquanto já existem HDs que superam 1 Terabyte de espaço,
SSDs estão na margem dos 180GB, outro problema é o valor de um SSD, como toda tecnologia tem um custo elevado o SSD não é uma exessão, os preços de um SSD ainda estão relativamente altos comparados com HDs.
Felizmente o cenário está se modificando aos poucos, e Hoje já existem SSDs que contam com 256GB para armazenar seus arquivos.

Para quem ainda não conhece as máquinas que utilizam SSDs, podemos citar os Macbook Air (notebooks ultrafinos da Apple) ou o Samsung 9 Series
(criado para concorrer no mercado dos portáteis ultraleves). E uma informação para quem pensa que apenas empresas de pequeno porte estão fabricando esses componentes:
um dos maiores nomes na fabricação de discos sólidos é a Intel.
Computadores como o Macbook Air podem ser carregados para todos os locais sem a necessidade de desligá-lo.
O processo de “acordar” após longos períodos de hibernação é muito rápido, assim como o tempo de boot.
Testes da Samsung indicam a inicialização do Windows em 36 segundos para computadores com SSD, e 63 segundos para máquinas com HD.


* para assistir o video com legendas, clique no botão “CC” no canto inferior direito do video

Encontre na Oficina dos Bits:

SSD 64GB SATA 2 – Patriot Torqx 2 – 270MB/s read – PT264GS25SSDR

SSD 120GB SATA 3 – Corsair Force GT – 555MB/s read – com adaptador 3.5″ – CSSD-F120GBGT-BK

SSD 60GB SATA – Corsair Nova Series 2 – CSSD-V60GB2

Fonte: TecMundo

Conhecendo os SSDs

Ainda hoje existem muitos usuários com dúvidas sobre  SSD. Neste review vamos esclarecer as diferença e as vantagens em adquirir um.

  • :: Porque discos de estado sólido?

Os dispositivos de armazenamento de estado sólido conhecidos do público composto por usuários não especialistas são os “cartões de memória” usados para câmeras digitais e similares (há de diferentes tipos, mas a tecnologia básica é a mesma) e os dispositivos removíveis tipo “pen-drive”, “thumb-drive” ou “key-drive”, que se conectam a uma porta USB e simulam o comportamento de um disco removível – razão pela qual, embora de “discos” nada tenham, são designados como “discos de estado sólido”, ou SSD (Solid State Disks).

“Estado sólido” é a expressão usada desde meados do século passado para designar os dispositivos eletrônicos baseados em semicondutores. Isto porque estes semicondutores (transistores, diodos e congêneres) são constituídos de matéria sólida (basicamente silício, ao qual se adicionam impurezas), em oposição aos dispositivos eletrônicos que vieram a substituir, as válvulas, que se baseavam na transmissão de elétrons no vácuo. E o meio usado para armazenamento de dados nos novos “discos de estado sólido” é a memória tipo “flash”, um tipo de memória não volátil que usa transistores para constituir suas células de memória.

  • :: Revolução no mercado de HDs

Os SSDs ou “Solid State Disks” (discos de estado sólido) são possivelmente a maior revolução dentro do ramo dos HDs desde o IBM 350, já que eles utilizam um princípio de armazenamento completamente diferente, com os discos magnéticos dando lugar aos chips de memória Flash

SSD 64GB SATA 2.5″ – Kingston SSDNow V+ Series – 200MB/s – SNV425-S2/64GB
Leia mais

Como funciona um disco rígido?

Entenda como acontece o processo de gravação e quais as técnicas utilizadas para aumentar a capacidade de dados desse dispositivo essencial para o computador.

Embora na hora de comprar um computador se dê muita atenção a aspectos como a placa-mãe, placa de vídeo e quantidade de memória RAM, todos esses componentes não teriam a menor importância sem a presença do disco rígido.
Afinal, de nada adianta ter poder de processamento se você não possui um local onde armazenar o sistema operacional ou gravar os diversos softwares e documentos com que deseja trabalhar. Para isso, a cada dia surgem no mercado novos modelos com mais espaço disponível, grande velocidade e precisão de leitura e gravação.
Quem utiliza computadores com frequência já deve ter se perguntado como funcionam estss componentes e imaginado qual o tipo de tecnologia necessária para gravar dados. Leia mais